quarta-feira, 26 de maio de 2010

balanço


No topo do mundo
ela é vento.
Basta um impulso
e o céu se aproxima
as pernas esticadas
deixando pra trás
o chão,
os cabelos,
a mãe
e seus zelos.
A liberdade,
suspensa por duas cordas,
dura o instante
de desejar ser livre
antes de ser tragada
de volta
pela paisagem.

19 comentários:

  1. Balancei e curti balançar
    beijos!

    ResponderExcluir
  2. arremessou nossa leitura pra dentro do teu vento...
    mó arremesso!
    depois dissolveu tua imagem e nossa imagem
    numa paisagem que não existe...
    mas existiu quando a gente leu,
    existiu!
    tu ta ligada já que a poesia
    tem esse poder de nadas,
    de coisisses, transformar ventos em gente
    e vício
    e verso...

    mó arremesso de leitor!

    ResponderExcluir
  3. Talvez devessemos não perder a ingenuidade infantil e continuar acreditando em nossos sonhos.

    BeijooO'

    ResponderExcluir
  4. Bungee jump!

    Po! Se me permite o comentário: se essa barriga pertence a você mesmo, seu blog não deveria ser (Di)vagando e sim Diva(gando)!

    ResponderExcluir
  5. - temos que ir e nõa parar nunca até chergarmos lá.
    - E para onde nós vamos?
    - Não sei. Mas temos que ir.

    Trecho de On the Road de Jack Kerouac

    é sempre um prazer adentrar em seu espaço

    abraço

    ResponderExcluir
  6. Eu já disse pra você que adorei o poema,
    mas vou ter que comentar:

    "Po! Se me permite o comentário: se essa barriga pertence a você mesmo, seu blog não deveria ser (Di)vagando e sim Diva(gando)! "


    A-do-rei! hahahahha

    ResponderExcluir
  7. Falei alguma coisa de errado?

    ResponderExcluir
  8. Foi pra mim esse último comentário? Se sim, não falou nada de errado, não. Tanto que ao final coloquei que adorei. :) Se não foi pra mim, abstrai. Hahaha

    ResponderExcluir
  9. ahahaha

    Foi pra vcs 2! Eu é que não entendi a graça, foi um elogio poético (na medida do possível, né). Enfim, adorei o blog e to adorando vcs 2!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Poxa, não teve graça. Eu só disse que achei boa a ideia de ser diva(gando), nada de mais também. ;D

    E Flavia, cadê o poema a 8 pés?! hahahah

    ResponderExcluir
  11. Sussa então, hehehe.

    Pois é Flávia, cadê?

    ResponderExcluir
  12. Po! Não reclame! Seu blog está (bem) frequentado, aliás, existe alguma política para respostas off topic? Tipo: vc comentou q seu blog está virando chat do uol no meu blog, eu respondo isso no meu ou no seu blog?! hahaha
    Por enquanto vai aqui, q eu tenho certeza q vc vai ler.

    ResponderExcluir
  13. A Flávia Doria além de ter um ponto de interrogação na barriga, escreve de forma bela e é uma boa presenteadora de picolés.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. o horizonte estava caminhando
    bateu um vento
    e ele voltou atrás
    queria ser mais poesia
    que as poesias eternas

    de vento em vento
    inventa-se muita coisa.

    (o comentário de cima saiu escrito errado... hehehe)

    ResponderExcluir
  16. Oi Flávia. Meus dias de blog acabaram. Vim aqui me despedir de voce. Espero manter contato contigo. Obrigado pelo carinho. Beijos!

    ResponderExcluir
  17. ae galera, qual é essa sala aqui? é a de 15-18 anos, SEXO, ou Rio de Janeiro? eu não lembro muito bem como fazia...faz tempo que eu não entro no uol...

    ass: GATO-MORENO15

    ResponderExcluir
  18. Basta um impulso...Muito bom e gostei muito. Abraço

    ResponderExcluir
  19. Simples e bem escrito. Muito bom!

    ResponderExcluir